Escultura Beijo Âmbar – Prelúdio de Amor

R$ 330,00

Escultura mostra beijo de casal incrustado em bloco de poliéster translúcido.

Escultura Beijo Âmbar – Prelúdio de Amor

Escultura Beijo ÂmbarPrelúdio de Amor, mostra casal em posição de “quase beijo”…  Assim, essa escultura beijo âmbar é perfeita para presentear a pessoa amada.  Ou então para pontuar de forma sensual a decoração de sua casa. Peça especial que marca com classe seu espaço e mostra que em decoração: MENOS É MAIS! Se colocada sobre base iluminada, se transforma em linda luminária.

  • Descrição: A peça é feita em resina de poliéster colorida incrustada e uma bloco translúcido. Mostra o perfil de um casal se aproximando para o beijo.
  • Designer: Eduardo Brückner
  • Material: Resina de Poliéster
  • Cor:  âmbar

Dimensões:

  • altura: 22 cm
  • largura: 5 cm
  • profundidade: 8 cm

Embalagem: Caixa de papelão.

Curiosidades:

a- Sobre o Beijo:

  • Você sabia que da pré-História à época atual, o beijo e seu poder de demonstrar o amor foram objeto de várias obras de arte?  Dentre as mais icônicas  a mais antiga é a ‘Os Amantes de Ain Sahkri’, achada em uma caverna perto de Belém (atual Cisjordânia). Então estima-se que ela deve ter sido feita por volta do ano 10.000 a.C.
  • Contudo, a mais famosa é ‘O Beijo’ (1882-89). É uma das representações do amor romântico que é um  ícone da arte ocidental: esculpidos pelo francês Auguste Rodin a partir de um único bloco de mármore, um homem e uma mulher se abraçam.  O casal era então a nobre Francesca da Rimini e o irmão mais novo de seu marido. O homem traído os surpreendeu matou os dois. Enfim, uma história que foi imortalizada em Inferno, de Dante. A obra está exposta no Museu Rodin, em Paris.
  • Você sabia que o beijo na boca é um ato bem mais antigo do que se pode imaginar? Assim, há esculturas do ano 2.500 a.C. que representam duas pessoas se beijando…
  • Outros animais além de nós, humanos, também costumam trocar beijos. É o caso dos chimpanzés, que trocam beijinhos depois de uma briga. Há diversos estudos que já comprovaram que outros primatas têm o costume de beijar. E, além deles, vale falar das suricatas e dos elefantes, que também beijam e demonstram afeto.
  •  Entretanto, existe cerca de 10% da população mundial que simplesmente não beija. Há muitos motivos para isso: em algumas áreas do Sudão, por exemplo, as pessoas não têm esse costume porque acreditam que a boca é a janela da alma. Beijar seria, portanto, uma forma de ter suas almas roubadas.

b-Sobre as resinas:

  • Você sabia que se desconhece qual foi o momento exato em que nós, seres humanos, descobrimos as resinas? Nem contudo sabemos quando começamos a fazer uso delas… Estima-se portanto que isso já ocorra por milhares de anos…
  • Todavia, se sabe que os rituais religiosos da Grécia, Roma e no Egito antigos se usava muito as resinas naturais.
  • As resinas estão bastante presentes tanto na natureza, quanto na fabricação de diversos produtos que usamos no nosso dia a dia.
  • Elas são criadas com o intuito de preservação da espécie. Sim, elas são substâncias viscosas, geralmente produzidas por células especiais presentes no tronco de alguns tipos de árvores. Quando “feridas” por açao mecânica ou insetos, elas as formam para ajudar na “cicatrização” do ferimento causado…
  • Essa substância ‘cobre’ a lesão no vegetal e, apesar de moldável num primeiro momento, se endurece quando em contato com o ar.
  • Além das resinas naturais, à partir de meados do século XIX, conseguimos produzir resinas por meios sintéticos.