Escultura A mão do Amor

R$ 500,00

Escultura A Mão do Amor mostra coração estilizado em mão que o segura… trabalho feito em resina de poliester, pelo designer Edu Brückner.

Escultura A mão do Amor

A escultura A mão do Amor é uma escultura que assim mostra a entrega do seu bem maior à pessoa amada… Enfim, é uma declaração de amor que fala, em silêncio, tudo que as palavras não conseguem expressar…

  • Descrição: Escultura em poliéster translúcido mostra coração colorido assim como seguro por uma mão cristalina. Portanto, ambos são estilizados.
  • Designer: Edu Brückner
  • Material: Resina de Poliéster
  • Cores: Vermelho/cristal (coração em outras cores  disponível sob encomenda)

Dimensões:

  • altura: 19 cm
  • largura: 18 cm
  • profundidade: 5 cm

Embalagem: Plástico filme, para assim revestir e proteger a peça, com caixa de papelão.

Curiosidades:

  • Você sabia que não se sabe ao certo qual foi o momento exato em que nós, seres humanos, descobrimos as resinas? Assim também não sabemos quando começamos a fazer uso delas… Estima-se portanto que isso já ocorra por milhares de anos…
  • Todavia, se sabe que os rituais religiosos da Grécia, Roma e no Egito antigos se usava muito as resinas naturais.
  • As resinas estão bastante presentes tanto na natureza, quanto na fabricação de diversos produtos que usamos no nosso dia a dia.
  • Elas são criadas com o intuito de preservação da espécie. Sim, elas são substâncias viscosas, geralmente produzidas por células especiais presentes no tronco de alguns tipos de árvores. Quando “feridas” por açao mecânica ou insetos, elas as formam para ajudar na “cicatrização” do ferimento causado…
  • Essa substância ‘cobre’ a lesão no vegetal e, apesar de moldável num primeiro momento, se endurece quando em contato com o ar.
  • Além das resinas naturais, à partir de meados do século XIX, conseguimos produzir resinas por meios sintéticos.
  • Maria Bethânia canta música então composta por Roque Ferreira. Nela portanto, a Mão do Amor é o tema. Vejam que coisa linda!!!!

“Eu queria que a mão do amor um dia trançasse, Os fios do nosso destino, bordadeira fazendo tricô

Em cada ponto que desse, amarrasse a dor  Em cada ponto que desse, amarrasse a dor

Como quem faz um crochê, uma renda, um filó Unisse as pontas do nosso querer e desse um nó…”