Centro de mesa Regina Medeiros – Purunga Preta

Centro de  mesa Regina Medeiros Purunga preta, é  um produto feito de forma 100% artesanal e assinado pela artista. Um luxo!!!

Centro de mesa Regina Medeiros modelo Purunga Preta

Centro de mesa Regina Medeiros modelo Purunga, é  um produto feito de forma 100% artesanal, assinado pela artista. A peça marca com classe seu espaço e mostra que em decoração: MENOS É MAIS! 

  • Descrição: Peça de vidro em forma  de uma cabaça cortada no sentido logitudinal. Fundida em alto forno com óxidos metálicos de Minas Gerais, revela uma cor preta brilhante com o topo em bronze. Por ser uma peça artesanal, pode apresentar ligeiras variações na forma e dimensões.
  • Cores:  Preto brilhante e bronze nas bordas.
  • Dimensões aproximadas: 100 x 25 x 18 cm.

Embalagem: Caixa de papelão.

Curiosidades:

A) Sobre a artista:

  • Você sabia que a paulistana Regina Medeiros iniciou sua trajetória artística com a cerâmica, e não com as suas famosas peças de vidro? A princípio, Regina Medeiros foi morar em Belo Horizonte em 1988 e lá iniciou a sua maior expressão na arte, através do vidro.
  • Diz ela: “Na cerâmica há o processo de vitrificação. Mas nessa etapa, tanto a cerâmica quanto o vidro perdem o que eles têm de melhor. A cerâmica perde sua força, e o vidro, a transparência. Então, sempre tive a vontade de desvincular esses materiais”, explica a artista. Desde então, Regina Medeiros começou a modelar o vidro, mas sem deixar de lado a cerâmica, que ganhou nova função, passando a servir como molde das peças em vidro.

B) Sobre o trabalho das artistas:

  • Os generosos tamanhos das obras criadas por Regina Medeiros são um dos diferenciais da artista. Todavia, o grande trunfo de Regina Medeiros é a utilização de metais provenientes do solo rico de Minas Gerais, o que resulta em uma alquimia dos minerais com óxidos, e infinitas possibilidades de texturas e cores aplicadas ao vidro. Há mais de 30 anos, Regina Medeiros foi pioneira, no Brasil, dessa fusão de materiais no vidro, que, anteriormente, era feita apenas na cerâmica. Enfim, um paciente trabalho de pesquisa, que agora segue a 4 mãos, desde que sua filha, Luciana Medeiros, se uniu a ela.
  • Assim, como explicar o que move Regina e Luciana Medeiros a se inspirarem em produtos triviais, que ninguém prestigiaria, e deles criar objetos de arte encantadores, inusitados?  Nesse sentido, o simples olhar para um quiabo ou uma cabaça, também chamada purunga, partidos ao meio e com essa imagem criar os divinos e longos centros de mesa, Quiabo e Purunga… Só mesmo com um super dom ou ajuda divina!
  • Um dos que mais me encantam, e que mudou totalmente a forma com que eu o via, é a Alquimela. A inspiração para criá-la foi a cauda de uma baleia. Então, sabendo disso, agora sempre que observo o objeto eu o percebo como parte de algo maior, pois é como se a baleia estivesse a se esconder sob o móvel onde a Alquimela se apoia… E assim, o que é arte se torna mágico…